REDE E COLETIVO DE INSERÇÃO

A rede de inserção da Rede Ponte atualmente é formada por 146 empresas de pequeno e médio porte, que apoiam as formações e/ou inserem jovens das organizações da Rede Ponte. É uma forma de unir os empresários/as que buscam promover a cultura do  trabalho digno e os jovens formados pelas instituições que compõem a Rede Ponte. Todas elas estão cadastradas na Plataforma APONTE.  Em 2020 as empresas da Rede de Inserção alcançaram o ITD – Índice do Trabalho Digno e 23 delas foram certificadas com o Selo “Eu apoio Trabalho Digno” após a observação in loco.

As empresas que formam a rede de inserção são acompanhadas pelo Comitê Gestor da Rede Ponte e pelo Coletivo de Inserção, que por meio dos seus agentes de inserção realizam Encontros Formativos para os/as empresários/as, sobre os parâmetros da cultura do Trabalho Digno. A ideia é apoiar a criação de uma identidade para estimular o sentido de pertença e de orgulho em promover a cultura do trabalho digno.

O Coletivo de Inserção também é responsável por mediar e melhorar a relação entre os/as jovens egressos/as e as empresas, estimulando, discutindo e articulando ações que aprimorem as relações de trabalho.

UNIDADE FORMATIVA DE DIREITOS E DEVERES DO TRABALHO

Ação formativa que acontece dentro das organizações da Rede Ponte tem duas frentes: Através de material informativo impresso e online sobre os direitos e deveres trabalhistas e o debate durante as aulas. Os debates preveem encontros presenciais com os/as jovens em formação nas organizações da Rede. Estes encontros têm o a duração de até 2 horas e serão realizados com foco no debate sobre os Direitos e Deveres do mundo do trabalho. Para estimular e orientar o debate foi produzido o Jogo do Trabalho.